Investimentos financeiros: não precisa ser rico para começar

Credibrf

23 de fevereiro de 2024

Sabemos que o assunto investimentos financeiros ainda é um bicho de sete cabeças para muitas pessoas, mas hoje nós vamos te mostrar que ele não é. 

Imagine comprar o apartamento dos seus sonhos, realizar aquela viagem, adquirir o seu primeiro carro. Esses são alguns dos objetivos que podem ser alcançados se você conseguir poupar dinheiro e, investir, pode te ajudar nisso. 

Não pense que para começar a investir é preciso receber muito dinheiro. Isso é um mito!  

Através da disciplina, da gestão e da educação financeira você pode se planejar, separar uma quantia para começar sua reserva e futuramente construir um patrimônio. 

Hoje em dia, existem no mercado financeiro diversos ativos com diferentes finalidades.

Por isso, neste artigo separamos alguns que são ideais para você que está querendo começar a investir. Vamos lá?

Como funcionam os investimentos financeiros?

De maneira simples, os investimentos são produtos oferecidos por instituições financeiras, por empresas ou pelo próprio governo para captar recursos.

Em troca, o investidor recebe uma taxa de rentabilidade.

Os ativos disponíveis para compra incluem ações, moedas, títulos etc. 

O objetivo principal do investidor quando começa a realizar investimentos é aumentar o seu patrimônio e gerar lucro sobre esse investimento.

Por isso, quando entramos nesse assunto, muitas pessoas acreditam que é preciso ter muito dinheiro para investir ou que é necessário ser um técnico no assunto finanças para começar.

Contudo, hoje é possível realizar bons investimentos financeiros através de pequenas quantias e noções básicas de educação financeira são suficientes para começar. 

Não é preciso ser rico para começar a investir

Como mencionamos anteriormente, esse é um dos grandes mitos que se espalham e são tomados como verdades. 

Não é preciso ser rico para começar a investir. Pelo contrário, cada vez mais jovens estão interessados em investir.

Segundo dados da B3 – a Bolsa brasileira –, o número de investidores com menos de 18 anos estava próximo dos 11 mil em março de 2020. Hoje, dois anos depois, esse número saltou 181%, para mais de 30 mil pessoas.

Isso vem acontecendo, pois cada vez mais surgem oportunidades de aplicação no mercado que são acessíveis para quem deseja investir com pouco dinheiro. Conheça quais são elas no tópico a seguir.

Quais são as modalidades ideais de investimentos financeiros para quem quer iniciar?

Existem muitas maneiras de investir. Por aqui, vamos citar as principais e mais buscadas por quem está começando. 

Temos basicamente os investimentos financeiros em renda fixa e os de renda variável. 

Basicamente, o investimento em renda fixa prevê ganhos futuros, uma vez que a taxa de juros é fixa. Ele é mais indicado para quem tem objetivos que podem ser alçados a médio prazo, podendo funcionar como uma “reserva de emergência”.

Esse tipo de investimento funciona como um acordo e a remuneração que será recebida ao final do prazo combinado, já é predeterminada. Ou seja, você sabe quanto vai receber. 

Os tipos de investimentos em renda fixa mais comuns são:

– Recibos de Depósito Cooperativo (RDCs);

– Certificados de Depósito Bancário (CDBs);

– Tesouro Direto;

– Letra de Crédito Imobiliário (LCI);

– Letra de Crédito de Agronegócio (LCA);

– Fundos de Investimentos de Renda Fixa.

Já o investimento em renda variável é imprevisível, ou seja, os valores se alteram todos os dias conforme taxas, impostos etc.

É um investimento influenciado por fatores econômicos e políticos. Os investimentos em renda variável são indicados para quem não tem medo de arriscar e deseja conquistar os seus objetivos a longo prazo.

Temos como exemplos de investimentos em renda variável: cotas de fundos imobiliários, ações, criptomoedas, câmbio, ETFs, entre outros. 

Para você que é iniciante, o ideal é começar a investir naquilo que seja mais simples de entender e avaliar. 

Lembre-se: é preciso entender o seu perfil de investidor, avaliar quais riscos você está disposto a correr e quais os objetivos quer alcançar, além de taxas e impostos de cada aplicação. 

Investimento financeiro Credibrf 

A Credibrf conta com o investimento em Recibo de Depósito Cooperativo (RDC).

Como ele funciona?

O RDC é uma opção para investimentos financeiros em renda fixa disponibilizado pelas cooperativas de crédito.

Ele é considerado um investimento de baixo risco, sendo ideal para quem procura investir com segurança, afinal, todas as condições são definidas previamente.

Na prática, o investidor “empresta” dinheiro para a cooperativa e recebe após o vencimento do título o seu dinheiro de volta juntamente com uma taxa de rentabilidade.

O RDC também conta com a proteção do Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCOOP), uma associação civil, de abrangência nacional, que visa proteger os depositantes do sistema financeiro nacional de crédito cooperativo.

Para investir em um RDC com a Credi, você precisa ser um associado.

Ficou interessado (a)? Clique aqui e associe-se.

Invista em você. Invista com a Credi!

Como faço para ser um cooperado?

Fazer parte da Credibrf é muito mais simples do que você imagina! Basta clicar no botão “Associe-se” logo abaixo, preencher, assinar a adesão e nos enviar juntamente com um documento pessoal por e-mail para relacionamento@credibrf.com.br

Se você preferir, pode ir até o posto de atendimento presencial da Credibrf em sua unidade de trabalho.

Ou você ainda pode baixar nosso aplicativo em seu celular!

   

Entre em contato